quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Mais um Natal! Que bom!!!

O Natal se aproxima e parece que as pessoas quase, disse quase, mudam.
O movimento normal diminui, a correria agora é outra, correm para torrar o décimo terceiro salário e contrair umas dividazinhas novas, tudo por conta dos presentes.
O comércio está muito animado, as vendas cresceram mesmo se utilizando de um apelo de mais de dois mil anos. Minha caixa de mensagens recebe um zilhão de cartões e afins.
Impressiona a falsidade que toma conta das pessoas nesse período. Os mais religiosos entram num momento de introspecção e meditação. Os medianos fazem de tudo para fazer com que os outros acreditem em seu perdão e buscam o perdão alheio também, os menos religiosos assistem a tudo de camarote, vendo aqueles abraços e tapinhas nas costas, distribuição de brindes, cartões de felicitações, folhinhas...
Amigos, serei muito sincero. Admiro a religião católica. Mesmo com todas as grandes sacanagens e falcatruas que conseguiram fazer da idade média até noutro dia, eles estão aí, firmes e fortes, mas não consigo cair no seu papo. Sou batizado (por não ter tido escolha), já meus filhos não, seguirão a religião que bem entenderem, não tenho direito de opinar por eles numa questão tão íntima.
Por outro lado adoro o período do Natal, com todo respeito que se deve ter, assim como respeito as outras religiões, mas eu adoro... as comidas e a festa! Afff... Peru, bacalhau, presuntos, castanhas, farofas especiais, arroz de não sei o quê, uvas, cerejas, ameixas, panetones, rabanadas, bolos específicos da época, queijos e mais queijos, vinhos... Eu me divirto, me acabo! A casa está cheia, muita gente falando, estão todos bem arrumados e se você for uma pessoa de sorte, só com pessoas queridas de verdade ao seu lado, a música é alta, mas num volume que podemos conversar, tudo está animado, a mesa repleta, mais gente chegando de longe, presentes inusitados, casa enfeitada, criançada correndo... Nesses dias, que se danem as dietas, quem tem pressão alta cai de boca no presunto parma, azeitonas e bacalhau, quem é diabético mete a mão na rabanada ainda que escondido da mulher, aquele tio que não pode beber, mais uma vez enche o caneco, criança quebra nozes no chão fazendo a maior sujeira, mas se divertindo com os cacos que voam longe, tudo isso regado a risadas, piadas novas e discussões antigas acaloradas.
Agora, entre as incoerências, uma que me assusta é a de desejar Feliz Natal aos quatro ventos, à todos. E se eu não sou católico? Em outros países poderia ser um afronto! Numa terra que abraçou todas as religiões e raças deveríamos estar acostumados a isso, não?
Por isso amigos, não desejarei feliz Natal, mas espero que no dia 24 todos tenham uma noite de muita alegria, de mesa farta, de pessoas maravilhosas ao seu lado, que no dia 25 tenham um almoço animadíssimo, feliz de verdade, cercado de paz, alegre, entre as pessoas mais importantes para você.
E claro, BOAS FESTAS!

2 comentários:

tardezinha disse...

fazia tempo que não visitava aqui, não posso deixar de comentar que a barbinha do figura aí tá uma gracinha. risos demais!

salve salve, seu moço.
beijos em ti.

Rodrigo disse...

Hum... melhor que ao natural! O Cartoon assim como o Pitangy, faz milagres!!!
Obrigado pela visita!
Beijos!